Seja Benvindo. A sua visita me fará, sempre, feliz

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Nos Rumos do Infinito



Para além da tua janela,
Há escuras vielas,
Há ruas tortuosas,
Onde não medram rosas...

Para além da tua mesa farta,
Mesa de linho recoberta,
Há mães famintas,
Há uma mesa pobre,
E há leitos sem coberta...

Além das portas de teu lar
Que trescala perfumes e alegria,
Há casebres tocados pelo vento,
E onde nunca surge a luz do dia...

Ah! Sai de ti mesmo, vai mais além,
Recolhe das migalhas que te sobram 
E enche com elas, o farnel do bem!
Não te limites a olhar, a indicar 
Onde a miséria mora!...
Espalha ao teu redor, a luz da esperança,
 A luz de nova aurora!

E, então, tua alma sairá 
Dos limites acanhados
Destes caminhos cobertos de abrolhos,
E verás surgir,
Ante teus olhos deslumbrados,
Ao calor deste amor sempre bendito,
A luz do Grande Além,
Que é o Porto do Infinito.

Autora espiritual: Icléia
Em 16/12/1968
Livro: Evangelho em Prosa e Verso
Mensagens diversas recebidas no Lar de Tereza
Edição: Lar de Teresa
www.lardetereza.org.br





16 comentários:

  1. Caro Élys,

    Lendo-se este poema não se pode dizer que a poeta Icléia defende a arte pela arte, já que há no seu bojo uma mensagem espiritual e outra mensagem social.

    Parabéns a ambos.

    Um abraço,
    Pedro.

    ResponderExcluir
  2. Uma mensagem que não precisa de religião mas de um bom coração. Bons sentimentos e comportamentos.
    Aproveitar tudo e saber dar e redistribuir pelos mais necessitados.

    ResponderExcluir
  3. Pedro Luso e Luís coelho
    Obrigado pela visita e por seus comentários.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Tão lindo de ler...poema MARAVILHOSO!!

    Tenham um Lindo Fim de Semana!!!
    Muita Luz!!!

    ResponderExcluir
  5. Robrta
    Acho, muito bonito, mesmo.
    Bom fim de semana pra você, também, muito iluminado,

    ResponderExcluir
  6. Olá,Élys!

    Sem caridade não há solução...e como é verdade, pois só quando aprendemos a pensar nos outros nos tornamos melhores...Evoluímos!
    Linda escolha!
    Abraços!Bom final de semana!

    ResponderExcluir
  7. Olá Élys,

    Ler a poesia, que escreve, é como mãe embalando seu filho.
    Que pureza de palavras!
    Quando me entranho nas suas palavras, sinto-me num campo de papoilas vermelhas.
    Estive ausente alguns dias, daí a minha falta no seu blog.
    Me visite, quando quiser. Obrigada.

    Abraços de luz.

    ResponderExcluir
  8. Belo poema, Élys. A caridade é uma das principais virtudes. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi Élys,belo poema.
    Gostei dessa frase,
    Espalha ao teu redor, a luz da esperança...
    Uma linda semana
    Carinhosamente
    Amara

    ResponderExcluir
  10. Vivian , Luz, Shirley e Amara
    Agradeço a visita e os comentários carinhosos de vocês.
    Que tenham uma bela semana.

    ResponderExcluir
  11. Muito lindo. Deixando o egoísmo, dividimos não migalhas, mas também nossos valores, conhecimentos, alegrias, fazendo o bem aos que precisam tanto...
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Precisamos espalhar o bem sempre!
    Beijos meus!

    ResponderExcluir
  13. Jeanne e Sônia
    Feliz com a visita de vocês, agradeço.
    Gostei muito desse poema.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Élys, o poema que Icléia escreveu é lindo e me vi ao redor de muitas luzes apaziguantes. Um abraço!

    ResponderExcluir
  15. Passando para ler a mensagem e desejar-lhe um bom dia!
    Xeros

    ResponderExcluir
  16. Ana
    Obrigado e um bom dia para você, também.

    ResponderExcluir

A sua visita me faz feliz.
Deixe um comentário, aqui ou se preferir,
vá ao livro de visitas (Guest Book), no alto do Blog.
Ficarei muito grato.